23 de mai de 2011

irmas

Viver a vida quando se tem lembranças doces e boas das irmas é uma bençao que so quem as tem é que sabe,
quando chegava os sabados, depois de tantas lutas, brigas, fomes, cansaços dos dias trabalhados na semana, sabado era maravilhoso. Todos os sabados era a mesma coisa, primeiro se deixava a casa bela, depois sentava-se para ficar bela, quando lembro disso me emociono. Nao existe felicidade para ninguém, nem mesmo o dinheiro compra, do que ter irmaos para recordar esses momentos. Obrigado mae e pai, por que me deixou um legado tao gostoso, como esse, o de ter irmas e lembranças.  Claro a presenza do irmao também faz diferença no nosso museu de memorias, mas nada substitui as irmas. As brigas das roupas que foram usadas e escondidas sujas, os sapatos, as meias de nylon que compravamos na esperança de uma bela estréia, mas qual nao era a surpresa quando a estréia tinha que ser a de sempre, sem meias ou com meias furadas.Todos ja conheciam as nossas roupas, porque o guarda-roupa nao era muito farto e por que as roupas eram desfiladas sempre por modelas diferentes. Engraçado que aqui a palavra modela que se conhece em italiano coube tao bem, neste contexto rsrsrs. As conversas eram como escritas em jornais ou revistas, por que nos as revisavamos sempre umas com as outras. Nao adiantava alguém pedir segredo, por que la em casa essa palavra nao existia no nosso dicionario.
Realmente a familia faz toda a diferença na vida do ser humano, mas quando nao podemos te-la por completo, inventamos a nossa propria.Atualmente infelizmente essas vivencias sao tao raras, por que os seres humanos em geral, e até mesmo os irmaos estao tao distanciados uns dos outros, que pude descobrir com a minha idade, que ja sou rica. Tenho meus irmaos e as lembranças que muito bem me fazem. Claro que o que escrevi nao é  um terço dos momentos que vivi, mas vale para fazer recordar todos os outros.
Beijao manos do coraçao.

2 comentários:

  1. Nossa, achei tao doce esse texto, quando ia lendo foi me dando vontade de chorar... eu lembro dos bobis nos cabelos, da arrumação, e acho que por ser mais nova, queria fazer tudo igual, só que era muito criança hehe

    A vida vai mudando as pessoas, mas nao deveria mudar a relação entre irmãos, só se fosse pra melhorar, entre irmãos nao tem essa de aproximação por afinidade, porque muito mais que afinidade, eles sao ligados pelo sangue, e isso deveria bastar.

    Quando zoavam quando me perguntavam porquê eu tinha tantos irmãos, eu também nao entendia pra quê tantos.... mas como você, hoje agradeço ao pai e a mae por nao terem assistido muita TV!! hehe

    Vou postar esse texto no meu Style, achei muito fofo!

    ResponderExcluir
  2. Lembro que comentei esse texto, que aliás, enquanto lia, me passava um filme na cabeça,
    das lembranças inesquecíveis dos nossos finais de semana.

    Eu era a mais folgada, não conseguia colocar bobi nem fazer escova no cabelo de ninguém, porque nunca gostei e até hoje não sei fazer nada nos outros, mas sempre tava pronta pra ser arrumada pra ficar bonitona também...hihihihi.
    "Maria Folgada" devia ser o meu apelido...kkkk.
    Tempos bons...

    ResponderExcluir