2 de nov de 2013

O SORRISO DAS IRMAS



Incrivel, mas pessoas que vieram do mesmo mundo, como podem ser tao diferentes?
Conhecem a maioria dos nossos caminhos, a melhor parte da nossa vida,  a nossa infancia. A infancia sempre sera a melhor parte da nossa vida, porque nela nossas irmas estao la bem presentes. Ainda que tenha doido um pouquimho, nao conseguiremos esquece-la. Ah... sermos crianças e termos irmaos, principalmente irmas. Podemos contar tudo o que fizemos,aquilo que iremos fazer. Os nossos pensamentos,chorar e sorrir em um tom, que podem ate serem confundidos. Serao  choros ou sao sorrisos? Estas coisas marcam tanto, que depois de tantos anos passados, quando estamos juntas, nos lembramos ate de pequenos detalhes, mesmo se  essas recordaçoes doem, nao tem importancia.Elas sabem das dores, das cores, certezas.Sao amigas e inimigas,vivemos quem sabe as mesmas ideias, mas as apreendemos diferentes. Se briga, se ama, se respeita e ate mesmo desrespeita.Arrancamos os cabelos, e os colocamos no lugar rapidamente, reclamamos, entendemos e desentendemos, falamos alto, logo baixo,resmungamos lamentamos, celebramos e nos xingamos mais um pouco. Tomamos rumos rumos diferentes,nos afastamos se telefonam se veem, se consolam, se perdem, se encontram; mas entendem a importancia da ausencia. Se vivemos a força do elo, mas nao nos se separamos. As coisas pequenas da vida, sao as mais valiosas.
Obrigada mana querida, por esses dias tao legais, inesqueciveis. Oxala venham a se repetir muitas vezes mais.
Te amo!
Te amo!
Amos voces manas queridas.










2 comentários:

  1. Que lindo esse texto!

    Ontem naquele filme de ficção científica que assistimos, os robôs tinham que fazer uma neuroligacao um com o outro, como irmaos, para funcionarem contra o combate com os monstros que atacavam a cidade... eles se tornavam fortes assim... assim, talvez, os irmãos deveriam ser desde sempre, um ajudaria sempre o outro quando precisasse, e os "monstros" seriam sempre derrotados.
    Você escreveu o que eu queria ter escrito, e fico na esperança de nos encontrarmos em breve denovo. A gente não sabe o quanto fazemos falta, até não termos mais por perto.

    Um beijaozao, te amo também, minha irma.

    ResponderExcluir